30 Mar 2015• Por Equipe Vitrine da Joia

Estamparia em fotocorrosão amplia espaço no mercado de bijuterias

Uma das técnicas mais utilizadas para impressão em placas metálicas, a fotocorrosão ganha espaço no mercado de semijoias e bijuterias. O processo é um ataque de corrosão ácida em uma chapa de latão ou inox (aço inoxidável) partindo de uma imagem fotográfica ou desenho confeccionado em fotolito. Em seguida, é transpassado para as tais chapas metálicas. Por isso, o nome fotocorrosão - foto por originar-se de uma foto ou imagem e corrosão pelo ataque ácido que recebe.

A impressão por fotocorrosão se dá a partir de uma arte-final feita em papel vegetal, obtida através de uma impressora a laser ligada a um computador. Essa arte-final pode ser feita pelo próprio produtor das chapas ou terceirizada, o que barateia o processo. A fotocorrosão consiste nas seguintes etapas: sensibilização química do material com esmalte, aplicação de raios ultravioleta na placa por meio de uma prensa gravadora a vácuo, polimerização em estufa (opcional) e corrosão da placa sensibilizada.

A técnica possibilita a confecção de brinco, pingentes, anéis, marcadores de páginas, bem como placas para marcas de roupas, calçados e bolsas. Em relação a outros tipos de peças como estamparias, sua vantagem está no baixo custo e rapidez no desenvolvimento e também maior agilidade na produção, bem como a possibilidade da criação de peças mais detalhadas e muito leves. Em relação às peças, tanto na fundição de alta ou baixa fusão, seria rapidez no desenvolvimento dos modelos e, principalmente, em relação ao peso

Jorge Luís Gomes da Emil Bijouterias diz que um problema recorrente desta técnica é o efluente gerado para o processo, e uma solução ideal para tal é dispor de um processo de evaporação a vácuo que possibilita recuperar grande parte da água e reutilizá-la novamente na lavagem. Portanto, a água nunca é descartada e o resíduo restante é encaminhado para uma empresa especializada para tratamento do mesmo.

Imagem: Acessórios para montagem de bijuteria em fotocorrosão - Emil Bijouterias - Foto: Macro Fotografia

 

 

 

Mais de uma centena de pessoas estão tendo resultados, aumentando as suas vendas em até 10x em 3 meses e com uma carteira de clientes realmente apaixonadas pelas suas marcas. Se você quer ter esses resultados, faça parte do MÉTODO VITRINNE, o maior e melhor curso do mercado para quem quer ter uma marca de semijoias de sucesso. Para saber mais clique no link abaixo.

https://vitrinnemagazine.kpages.online/metodo-vitrinne

Comentários via Facebook

Comentários

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com asterisco (*).



Assine nossa newsletter

Últimas do Instagram