31 Ago 2016• Por Equipe Vitrine da Joia

Visual Merchandising: A Lapidação da Loja

 

Se a loja fosse uma pedra bruta, o Visual Merchandising seria a lapidação. É assim que comparo essa técnica tão essencial no varejo quando se é para exemplificar a importância dela na Arquitetura de Loja, cada produto tem uma necessidade específica e com as joias, não seria diferente.

 

Quando se desenvolve o conceito de uma joalheria ou até mesmo um estande numa feira, a principal função do projeto é vender, e por isso utilizar o Visual Merchandising é imprescindível.

 

A função desta técnica é estabelecer uma organização dentro da loja que alinhe estratégia de venda (o equipamento certo, no lugar certo), eficiência na logística (cada produto ocupa um determinado espaço), valorização dos produtos (lançamentos precisam conviver com promocionais), atratividade (a loja tem que ser bonita) e identidade (ter uma comunicação visual que faça o Cliente se identificar com a Marca).

 

O que o Visual Merchandising faz é reunir todas essas necessidades em uma única função. O resultado final são lojas bonitas, eficientes e rentáveis.

 

Porém, cada marca tem seu próprio D.N.A. e não adianta sair copiando e tentar fazer algo em sua loja que o efeito pode ser contrário, e ao invés de alavancar as vendas, ele pode diminuir

                                                                                                             

A joalheria Tani é voltada para as classes A e B, por isso a loja é mais sofisticada, com muitas vitrines, displays e áreas reservadas para o Cliente se sentir mais confortável ao comprar joias mais caras.

 

Já a C&A, é uma loja de fast-fashion voltada para o público C e D, foi utilizada uma mesa espelhada para expor displays com lançamentos na entrada da área, as torres são em cores diferentes para criar contraste com o produto. Os equipamentos são de massificação, porém a disposição e o acabamento ajudam a valorizar a área.

 

Uma lapidação não é feita apenas para tirar os excessos, ela é pensada, estudada e existe toda uma técnica por trás, mas também cada pedra é desenhada, para contar uma história, elas têm alma, beleza, por isso, não basta ter uma Loja ou um estande bonito, eles precisam ser estratégicos, tem que ser eficientes e vender. Fazer um projeto de loja sem Visual Merchandising,é como lapidar uma pedra sem a arte.

 

 

Texto: Henrique Dourado (www.hdstoredesign.com.br)

Arte: Julia Candido

Fotos: HD Store Design

 

13956867_1268738083170827_1258526792_n.png

Semijoias e bijuterias: 4 tendências para ficar de olho

A volta dos anos 90: quais acessórios investir

Welcome Spring 2016: Conheça as marcas que desfilam sua coleção Verão 2017 no evento

Edição 18: Acrílico em alta na coleção Color Ful da Le Diamond

13941122_1268738079837494_21149303_n.png

Comentários via Facebook

Comentários

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com asterisco (*).



Assine nossa newsletter

Últimas do Instagram