30 Jun 2017• Por Equipe Vitrine da Joia

Empreendedorismo Real: histórias de pequenos empreendedores que nos inspiram

Terminamos o segundo semestre com uma missão: a partir de agora nós vamos compartilhar aqui em nosso site algumas histórias de empreendedorismo que chamamos de “empreendedorismo real”. São pequenos negócios que servem para inspirar muitas pessoas que querem se dedicar ao seu sonho, mas falta aquele “incentivo” ou aquela história no qual possam se identificar.

 

Quando digo aqui de pequeno negócio me refiro a um negócio comandado única e exclusivamente por UMA pessoa: sabe aquela pessoa que cria, monta, craveja, vende, cuida das mídias sociais e de toda a parte burocrática e financeira da empresa? Elas existem e são responsáveis por uma parcela significativa de nosso mercado.

 

Por isso que resolvemos encerrar o primeiro semestre de 2017 (um semestre bastante trabalhoso para a maioria dos empreendedores) com essa nova categoria no site: “Empreendedores Reais”. E a primeira história é contada em primeira pessoa, por uma leitora assídua de nosso site e que possui um ateliê de joias e bijuterias, a Da Yoko.

 

Vamos lá:

 

“Meu nome é Alice Keiko Yokoda, tenho 40 anos, nasci em Santos/SP, mas sempre morei no Guarujá. Sou casada com Fábio Nascimento há 7 anos e tenho dois filhos, Sophie 5 e Lipe 3.

Graduei-me em Letras em 1999, lecionei em algumas escolas e em 2000, resolvi morar no Japão com familiares. Trabalhei em fábricas, o que me ensinou muito sobre produção, e em escolas brasileiras filiadas aos Brasil. Lecionei Português, Literatura, Artes e Inglês. Foram 10 anos que serviram de aprendizagem e experiência de vida. Em 2010, retornei ao Brasil, busquei trabalho em escolas particulares, mas a situação não estava muito favorável. Reencontrei o Fábio, que havia sido meu namorado do ensino médio, nos casamos e engravidei de Sophie.

Ela nasceu em 2011. Com os afazeres domésticos, cuidados com a bebê e o marido, fui ficando meio deprimida.  Precisava encontrar algo para me distrair que não fossem obrigações de mãe, esposa e dona de casa. Sempre gostei de artesanato, fiz aulas de desenho, crochê, pintura em tela, piano, corte e costura mas não me aprofundei em nada. Então veio a ideia de fazer pulseiras nos horários vagos.  Comecei usando peças que minha irmã me deu. Fiz algumas pulseirinhas simples e ela levou para vender onde trabalhava. As meninas gostaram e pediram outras, então comecei pesquisar e fui às compras.

Minha primeira compra não foi muito boa, pois o material era de baixa qualidade e eu ainda não tinha noção de bom e ruim. Fiz outros modelos, peguei alguns de grifes, alguns de sites de artesanato e muitos de pedidos. Percebi que era uma boa terapia, aliada ao retorno financeiro. Busquei especialização na área de joalheria: design, joalheria artesanal e cravação mas nunca abandonei as bijus.

Em 2013, nasceu o Felipe, o que meu motivou ainda mais a continuar com o negócio, pois conseguia cuidar dos dois, da casa e fazer as minhas criações. O espaço em casa ficou apertado, pois usava a sala e um dos banheiros como ateliê. Em 2015, senti a necessidade de buscar um espaço fora de casa e montei um ateliê dentro de um espaço de beleza. 

Ainda hoje estudo, leio, pesquiso: inclusive a Vitrinne Magazine é uma das minhas fontes, adoro as matérias sobre os fashion weeks internacionais e suas tendências. Já usei matérias como material do meu trabalho.

Hoje meus filhos estão crescidinhos, e agora os deixo no colégio, e trabalho nesse período. Tive sorte, pois cuidei dos dois e ainda consegui trabalhar em casa fazendo o que mais me fazia feliz. Ainda não tenho loja física, vendo pessoalmente no ateliê, faço visitas e exploro muito as redes sociais.

Fechei parcerias com vários setores na cidade, roupas, sapatos, doces, flores e etc... divulgo as lojas e tenho retorno quando promovo eventos da minha marca. E ainda consegui contatos com atrizes, cantoras, apresentadoras, jornalistas, atletas da mídia nacional... Algumas já conhecem as nossas peças e seguem o nosso trabalho! Ainda tenho muitos objetivos e sonhos a conquistar. Lancei duas coleções em prata 950 e já estou com o projeto para o dia dos namorados pronto! São cinco anos da Marca com muito trabalho, dedicação e amor. E antes que esqueça,  DA YOKO é o meu sobrenome YOKODA e minha marca pela qual tenho muito amor.

Os valores que me norteiam são compromisso, clareza e honestidade com o cliente, além de dedicação, foco, fé e o convívio com a família. Por falar em família, não posso deixar de citar aqui meu esposo que sempre me apoia e me auxilia em tudo o que preciso!”

 

Texto de introdução: Andreza Leite

Narrativa: Alice Keiko Yokoda

 

 

 

Posts relacionados

    {headlines:blog:category(empreendedores-reais):limit(3):not(345)}
  • {headline:title}
  • {/headlines:blog:category(empreendedores-reais):limit(3):not(345)}

Comentários via Facebook

Comentários

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com asterisco (*).



Assine nossa newsletter

Últimas do Instagram